SEMPRE AUSENTE

by António Variações

António Joaquim Rodrigues Ribeiro, (3 December 1944 – 13 June 1984) was a Portuguese singer and songwriter. Despite his short-lived career due to his premature death at the age of thirty-nine, using the stage name of António Variações, he became one of the most culturally significant performing artists of recent Portuguese history. His recorded works blended contemporary music genres with traditional Portuguese rhythms and melodies, creating music which for many is symbolic of the liberalization that occurred in Portuguese society after the Carnation Revolution of 1974. The original and provocative nature of his recorded works has led to him being widely recognized as one of the most innovative artists in the recent history of Portuguese popular music.




Diz-me que solidão é essa 
Que te põe a falar sozinho
Diz-me que conversa
Estás a ter contigo
Diz-me que desprezo é esse 
Que não olhas para quem quer que seja
Ou pensas que não existes 
Ninguém que te veja
Que viagem é essa 
Que te diriges em todos os sentidos
Andas em busca dos sonhos perdidos
Uhhhhh... Uhhhhh...
Lá vai o maluco 
Lá vai o demente
Lá vai ele a passar 
Assim te chama toda essa gente
Mas tu estás sempre ausente e não te conseguem alcançar (x3)

Diz-me que loucura é essa 
Que te veste de fantasia
Diz-me que te liberta 
Que vida fazias
Diz-me que distância é essa 
Que levas no teu olhar 
Que ânsia e que pressa 
Tu queres alcançar
Que viagem é essa 
Que te diriges em todos os sentidos
Andas em busca dos sonhos perdidos
Uhhhhh... Uhhhhh...
Lá vai o maluco
Lá vai o demente
Lá vai ele a passar 
Assim te chama toda essa gente
Mas tu estás sempre ausente e não te conseguem alcançar (x2)

Mas eu estou sempre ausente e não conseguem alcançar 
Não conseguem alcançar (x3)

Written by: ANTONIO VARIACOES

Lyrics © Rossio Music Publishing

Lyrics Licensed & Provided by LyricFind

© Lyrics.com